JOE, O PISTOLEIRO IMPLACÁVEL (1966) | REVIEW

O homem que veio do alto 1966. Um ano para ser guardado na memória dos admiradores do Spaghetti Western. Além da obra-prima absoluta TRÊS HOMENS EM CONFLITO, as telonas ainda receberam O DIA DA DESFORRA, TEMPO DE MASSACRE e TEXAS ADIÓS. Sergio Corbucci, responsável por deixar o sangue escorrer sem dó nos desertos espanhóis disfarçados … Continue lendo JOE, O PISTOLEIRO IMPLACÁVEL (1966) | REVIEW

Anúncios

FUGINDO PARA VIVER (1991) | REVIEW

Anda meio esquecido atualmente, mas FUGINDO PARA VIVER (Run) é um pequeno thriller de ação do início dos anos 90, divertido à beça. Traz Patrick Dempsey como um estudante de direito que faz qualquer coisa pra ganhar uma graninha extra para ajudar a pagar seus estudos. Por isso, aceita logo de cara o serviço de levar um Porsche até outra … Continue lendo FUGINDO PARA VIVER (1991) | REVIEW

PRECISAMOS FALAR SOBRE BANSHEE

Balas e lágrimas: uma viagem ao universo de Banshee por Guilherme Ferraro BANSHEE é uma série de 2013 que se encerrou em 2016, criada por Jonathan Tropper, que até então era um novelista norte-americano sem experiência alguma na tv ou no cinema. Tropper, acompanhado por David Schickler, também sem experiência nenhuma com audiovisual, criaram juntos essa … Continue lendo PRECISAMOS FALAR SOBRE BANSHEE

Lançamentos da A2 Filmes (Julho e Agosto)

Confiram a seguir os lançamentos selecionados dos selos Flashstar e Focus que chegarão ao mercado de home video para locação, varejo e nas plataformas digitais através da A2 Filmes. Seguem abaixo os trailers, informações e datas que os filmes serão lançados. Atualizaremos essa publicação com mais dados sobre outros títulos muito em breve. ASSASSINO EM … Continue lendo Lançamentos da A2 Filmes (Julho e Agosto)

MEU NOME É PECOS (1967) | REVIEW

Pescoço Marcado O segundo longa-metragem como diretor do italiano Maurizio Lucidi (aqui sob o pseudônimo americano de Maurice A. Bright) sofre do mesmo mal de vários de seus contemporâneos de gênero. Se o spaghetti western deu ao mundo algumas obras inesquecíveis, violentas e bem construídas, também foi responsável por algumas peças bem mal acabadas em … Continue lendo MEU NOME É PECOS (1967) | REVIEW